Fortalecendo

27 de outubro de 2010

Que medo me dá


"Que coisas são essas que me dizes sem dizer, escondidas atrás do que realmente quer dizer?
Tenho me confundido na tentativa de te decifrar, todos os dias. Mas confuso, perdido, sozinho, minha única certeza é que cada vez aumenta ainda mais a minha necessidade de ti. Torna-se desesperada, urgente. Eu já não sei o que faço. Não sinto nenhuma outra alegria além de ti.
Como pude cair assim nesse fundo de poço? Quando foi que me desequilibrei? Não quero me afogar: Quero beber tua água. Não te negues, minha sede é clara."


Será que é você? 
Que medo me dá. 
Que medo de pensar que crio e fantasio mil coisas na minha cabeça e no final das contas pode ser que não seja você. Pode ser que não seja você que virá me salvar. Pode não ser você a virar o príncipe. Pode não ser você a me salvar dessa torre.
E essa incerteza ao mesmo tempo que me consome, me instiga. Porque também há a possibilidade de ser. De ser não apenas projeção do que eu desejo. De ser mais do que espero.
Sim, eu ainda vejo algumas coisa em tons de rosa. Já meio esmaecido por tantas desilusões, mas ainda assim acredito em finais felizes... em encontros de final de novela, aqueles em aeroportos, onde os dois correm na direção do outro, deixando tudo para traz e se abraçam e beijam-se, e se soltam e se olham e se beijam mais e abraçam-se e se soltam e choram e riem e se olham novamente sem acreditar que ali estão, finalmente, frente a frente... enfim, real.
Que medo me dá... 

3 comentários:

Mara Farias disse...

O medo pode ser coragem!
Um xero e bom feriado!

Jessica disse...

Nossa vida é feita de escolhas, se quer vai em frente!!
Lindo texto Paulinha!!!
Se cuida, bjs!
^^

Cáh Morandi disse...

Adorei teu blog! Beijão