Fortalecendo

8 de julho de 2010

Carreirinha


Exausto
De correr sabendo
Que não tem ponto de chegada
Nem beijo de namorada

O ar entra e sai
O mar vem e vai
Você nada

Assopra que passa
Fala que esquece
Chora que molha
Martelada no dedo
Por exemplo

Teu rosto
Meu posto de observação solitária
Meu gosto pelo amargo
Pelo que arde

Nem canto nem berro surdo
Nem lamento
O lobo uiva
Pra se mostrar pra Deus
São frias e distantes
Terras por onde te passeio
A peito nu. Dói...

Um comentário:

Selma disse...

Saudade mesmo!!!